CARACTERIZAÇÃO, INSERÇÃO E RESISTÊNCIA DE MUARES

Ana Paula Borges da Costa, Paulo Santana Pacheco

Resumo


Os muares são animais híbridos provenientes do cruzamento entre a fêmea equina (Equus caballus) e o macho asinino (Equus asinus). São animais rústicos e resistentes, e muito utilizados em trabalhos de tração. Os muares tiveram grande importância no Brasil na era colonial no transporte de gêneros alimentícios e outras mercadorias, principalmente no interior do país. Há um grande senso empírico de que os muares são animais mais resistentes do que os equinos e mais indicados para provas de resistência de baixa intensidade e longa duração, mas poucos dados científicos a respeito do assunto podem ser encontrados. Devido a esse fato há uma tendência crescente de se criar muares em detrimento de equinos, e o avanço desse setor em relação à seleção genética, têm feito da criação de muares um nicho de negócio bastante rentável. Análises de constituintes séricos sanguíneos de muares e equinos podem ser capazes de identificar qual espécie animal é mais resistente ao exercício físico. Os muares atualmente participam do chamado “agronegócio do cavalo”, que movimenta grande valor econômico no país e gera muitos empregos diretos e indiretos. As enzimas lactato desidrogenase (LDH) e creatina quinase (CK) podem revelar se equinos e muares apresentam o mesmo desgaste frente ao exercício físico ou não. Devido ao exposto o presente trabalho tem como objetivo caracterizar os muares em relação aos equinos, descrever sua resistência e elucidar sua inserção no agronegócio atual.

Palavras-chave: Equídeos. Exercício físico. Mulas. Mercado equino.

Palavras-chave


Zootecnia; Etologia; Genética e Melhoramento; Produção Animal.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/21751463.2162