IMPACTOS DO CRÉDITO RURAL SOBRE A PRODUÇÃO LEITEIRA NO ESTADO DE RONDÔNIA. 1990-2015

Joyce Monteiro da Silva, Marcos Antônio Souza dos Santos, Fabrício Khoury Rebello, Maria Lúcia Bahia Lopes, José de Brito Lourenço Júnior

Resumo


No Brasil, as principais bacias leiteiras estão localizadas nas regiões Sul e Sudeste. Contudo, o estado de Rondônia, na região Norte, vem se destacando entre os produtores do país. Neste contexto, o crédito rural exerce importante papel, disponibilizando recursos financeiros necessários ao desenvolvimento dos sistemas de produção. O presente estudo analisa a influência do crédito rural sobre o crescimento da produção de leite no estado de Rondônia no período de 1990-2015. Utilizou-se o método shift-share para decompor as taxas de crescimento das variáveis: produção leiteira, plantel de vacas ordenhadas e produtividade animal. Posteriormente, os dados obtidos junto ao Anuário Estatístico do Crédito Rural do Banco Central do Brasil (BACEN) e da Pesquisa Pecuária Municipal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foram analisados por meio de estatística descritiva, análise de correlação e regressão, visando aferir o comportamento dos financiamentos e seus efeitos sobre a pecuária leiteira. Adicionalmente, foram analisados dados das aplicações do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) em pecuária leiteira, obtidos junto ao Banco da Amazônia. No período analisado a produção estadual cresceu 6,85% ao ano, sendo o crescimento do plantel de vacas ordenhadas e produtividade, respectivamente, de 4,95% e 1,8% ao ano. A correlação das aplicações de crédito rural com a produção foi positiva e estatisticamente significativa. O coeficiente de elasticidade-crédito foi maior com relação ao plantel de vacas ordenadas (0,0785) que na produtividade leiteira (0,0410), evidenciando que o crédito está exercendo maior efeito sobre a expansão do rebanho e com menor impacto sobre a produtividade.

Palavras-chave


Pecuária Leiteira; Tecnologia; Crescimento; Política Agrícola; Amazônia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/21751463.2839