ADENOCARCINOMA COMPLEXO GRAU II DE GLÂNDULA MAMÁRIA EM UMA CADELA DA RAÇA BICHON FRISÉ

João Vitor Garcia Soares, Edmilson Rodrigo Daneze, Ricardo Lima Salomão, Cleber Jacob Silva de Paula

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo relatar o caso de uma cadela da raça Bichon Frisé que foi atendida com histórico de aumento de volume bilateral nas glândulas mamárias abdominal caudal e inguinal, com evolução de aproximadamente dois meses, apresentando secreção sanguinolenta em mama abdominal caudal esquerda. O animal não era esterilizado, se apresentava dispnéico e com hipertermia. No exame clínico notou-se aumento de volume com aspecto em placa única que atingia glândulas abdominais (cranial e caudal) e inguinal esquerda e abdominal caudal e inguinal direita, com aproximadamente 8,0 cm de diâmetro, consistência firme, superfície lisa e ulceração na porção cranial da glândula abdominal caudal esquerda. Foram realizados exames hematológicos, onde foram identificadas leucocitose por neutrofilia, eosinopenia e trombocitopenia, e radiográficos, que permitiu a observação de nódulos em parênquima pulmonar. Assim sendo, deduziu-se tratar-se de um caso de neoplasia mamária. Devido às condições físicas e clínicas do animal optou-se pelo tratamento clínico de manutenção. Contudo, como a evolução do quadro clínico do animal foi progressiva, foi realizada eutanásia. No exame histopatológico foi diagnosticado adenocarcinoma complexo grau II. Concluímos que o tratamento clínico aplicado à paciente não obteve bons resultados a curto prazo, provavelmente devido ao estágio avançado da lesão, culminando com a eutanásia da mesma.

Palavras-chave


Diagnóstico por imagem; Evolução clínica; Neoplasia mamária; Tratamento clínico; Tratamento medicamentoso.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/21751463.2858