ASPECTOS METODOLÓGICOS DA EXTRAÇÃO DE LIPÍDEOS DO TECIDO MUSCULAR DE JUVENIS DE PEIXES PARA ANÁLISES ISOTÓPICAS DE AMOSTRAS DESENGORDURADAS

Mateus Brandão Flávio Castro, Carlos Ducatti, Rodrigo Takata, Rosangela Kiyoko Jomori

Resumo


Os lipídeos desempenham diversas funções fisiológicas e estruturais de grande importância para os animais, sendo encontrados em seus tecidos sob a forma de óleos e gorduras. A sua extração em análises bromatológicas pode ser feita por meio de diferentes métodos, sendo esses selecionados de acordo com os objetivos da análise. O objetivo do trabalho foi avaliar diferentes protocolos de extração do lipídeo, por método a frio, associando freqüência de exposição e quantidades do solvente visando à aplicação deste procedimento para análises isotópicas de carbono e nitrogênio de amostras desengorduradas. Amostras de tecido muscular de juvenis de pacu P. mesopotamicus foram submetidas à frequência de extração, com solvente hexano, de 3, 6, e 9 vezes e quantidades de solventes 5, 10 e 20 ml para cada 1g de amostra seca, em esquema fatorial 3x3, com 3 repetições. Para os valores de Carbono-13 e Nitrogênio-15 das amostras desengorduradas, não foram observadas diferenças entre as frequência de extração (p>0,05) e as quantidades de solvente (p>0,05). Por outro lado, amostras desengorduradas mostraram-se mais ricas em Carbono-13 que a amostra engordurada (controle) (p<0,05); e sem diferenças para os isótopos de Nitrogênio-15 (p>0,05). Os protocolos de extração de lipídeos foram eficientes para o tecido alvo estudado em análises isotópicas, alterando os valores de δ13C da amostra desengordurada sem modificar os valores de δ15N.

Palavras-chave


Aquicultura; Zootecnia; Nutrição e Alimentação Animal

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/na.v4i1.664