COMPLEXO PÊNFIGO EM CÃES – REVISÃO DE LITERATURA E RELATO DE CASO DE PÊNFIGO FOLIÁCEO

Bruna Maria Calife Corrêa Prudêncio, Carolina Pires Herker, Mariana Estorino Moreno, Ricardo Lima Salomão, Elzylene Léga

Resumo


RESUMO: As enfermidades cutâneas autoimunes advêm da ativação de linfócitos contra os próprios componentes da pele ou da produção de anticorpos. No complexo pênfigo, sua etiologia não é esclarecida, podendo ser idiopática, relacionada a doenças crônicas ou a utilização de fármacos. O diagnóstico pode ser feito a partir de: anamnese, exame físico, esfregaço direto das lesões, biópsia (histopatologia), citologia das pústulas, testes de imunohistoquímica ou imunofluorescência. A escolha terapêutica com imunossupressores é a primeira opção e o prognóstico é de bom a reservado. O presente trabalho tem como objetivo fazer uma revisão acerca do pênfigo foliáceo canino além do relato de um caso acompanhado, demonstrando a importância do diagnóstico rápido e preciso, e a terapêutica disponível atualmente, assim, evitando que a enfermidade não evolua para complicações levando o animal a óbito.


Palavras-chave


dermatopatia. desmossomo. queratinócito.

Texto completo:

PDF

Referências


BIRCHARD, S. J.; SHERDING, R. G. Manual Saunders Clínica de Pequenos Animais. 1°ed. São Paulo: Roca, p.355-360, 1998.

GOMEZ, S. M. Outcome and complications associated with treatment of pemphigus foliaceus in dogs: 43 cases (1994-2000). Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 224, n. 8, p. 1312-1316, Apr. 2004.

MEDLEAU, L.; HNILICA, K. A. Doenças cutâneas autoimunes e imunomediadas. Dermatologia de Pequenos Animais: Atlas Colorido e Guia Terapêutico. 1 ed- São Paul: Roca, 2003, p. 353.

RHODES, K. H.; WERNER, A. H. Dermatologia em Pequenos Animais. 5-minutos consulta veterinária. 2 ed. São Paulo: Roca, 2014, cap. 20, p. 179-204.

SCOTT, D. W., MILLER, D. H.; GRIFFIN, C. E. Muller and Kirk’s Small Animal Dermatology. 6th ed. Philadelphia, Saunders, 2001, 1528 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.