DIFERENTES TEMPERATURAS E TEMPOS DE EMBEBIÇÃO DE SEMENTES DE FEIJOEIRO PARA REALIZAÇÃO DO TESTE DE CONDUTIVIDADE ELÉTRICA

Angélica Andrade Ribeiro, Sheila Caioni, Tiago de Lisboa Parente, Rodrigo dos Anjos Piloni, Marco Antônio Camillo de Carvalho, Oscar Mitsuo Yamashita

Resumo


O teste de Condutividade Elétrica (CE) em sementes é considerado um método rápido e de fácil execução para determinação da qualidade fisiológica das sementes, no entanto, ainda há questionamentos referentes ao tempo de embebição e a temperatura ideal para a diferenciação de vigor entre os lotes de sementes, e algumas literaturas ainda apontam divergência entre resultados. Dessa forma, o presente trabalho objetivou avaliar a combinação de diferentes temperaturas e períodos de embebição das sementes no teste de condutividade elétrica em cultivares de feijoeiro. O delineamento utilizado foi o inteiramente ao acaso, no esquema fatorial 10x4x5, sendo dez cultivares de feijão (Pérola, Radiante, Marfim, Jalo, Bambuí, Corrente, Pontal, Princesa, Talismã e Agreste), quatro temperaturas (25, 30, 35 e 40oC) e cinco tempos de embebição (2, 4, 8, 12 e 24 horas), totalizando 200 tratamentos com 4 repetições. Verificou-se que a partir de 4 horas de embebição e 25ºC foi possível diferenciar as cultivares quanto ao vigor das sementes, indicando que o teste de condutividade elétrica pode ser recomendado para avaliar a qualidade fisiológica de sementes das cultivares de feijoeiro utilizadas.

Palavras-chave


Phaseolus vulgaris, qualidade fisiológica, vigor de semente.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/1982.2278.1153