ESTIMATIVA DO PLASTOCRONO EM CRAMBE NAS CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS DE CAPITÃO POÇO NO PARÁ

Raimundo Leonardo Lima de Oliveira, Layla Gerusa Souza Lima, Leane Castro Souza, Antonio Robson Moreira, Antonia Vanderlane Albuquerque da Costa, Raimundo Thiago Lima da Silva

Resumo


Objetivou-se com este trabalho, estimar o plastocrono na cultura do Crambe em duas épocas de semeadura no município de Capitão Poço no estado do Pará. O experimento foi conduzido na área experimental do Campus de Capitão Poço da Universidade Federal Rural da Amazônia, PA, onde foi realizada a semeadura em Setembro de 2013 e Janeiro de 2014 e utilizou-se a cultivar de crambe ‘FMS Brilhante’. A fim de determinar o plastocrono nos diferentes subperíodos, foram gerados, para as duas épocas, modelos de regressão considerando os seguintes subperíodos: emergência até o início do florescimento (EM-FL), emergência até o início da frutificação (EM-FRUT), emergência até a senescência (EM-SEN). Para cada época de cultivo, foi gerado uma regressão linear entre o número de nós acumulados (NN) na planta e a soma térmica acumulada (STa) a partir da emergência . O plastocrono (°C dia nó-1) foi considerado como sendo o inverso do coeficiente angular da regressão linear entre NN e STa. Diferentes épocas de semeaduras e subperíodos de desenvolvimento da cultura apresentaram valores diferentes sobre o plastocrono em Crambe. As estimativas mais seguras de obtenção de plastocrono são aquelas que levam em consideração os subperíodos compreendidos EM-FL, EM-FRUT e EM-SEN.

Palavras-chave


Brassicaceae; FMS Brilhante; Soma térmica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/1982.2278.1187

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários