TRATAMENTOS PRÉ-GERMINATIVOS COM SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS

Roberto Andreani Junior, Gustavo Giantomassi Gomes, Sérgio Roberto Garcia dos Santos

Resumo


Este trabalho teve por objetivo avaliar diferentes métodos de superação da dormência de sementes de angico-branco (Albizia polycephala), cássia-rósea (Cassia javanica) e jatobá (Hymenaea courbaril) e espera-se que o estudo em questão contribua para ampliar o conhecimento sobre este tema. Para tanto esta pesquisa foi desenvolvida no Laboratório de Biotecnologia da Universidade Camilo Castelo Branco – UNICASTELO, Campus Fernandópolis- SP e os tratamentos utilizados testados foram: a- imersão das sementes em água à temperatura ambiente (28 ºC), b- escarificação mecânica, c- escarificação química com uso de ácidos sulfúrico e clorídrico, d- fogo, e- água fervendo (100 °C), f- álcool etílico, e h- testemunha. Os tratamentos testados (indicados acima) variaram entre as espécies estudadas. Os resultados foram submetidos a análise de variância, sendo as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade através do programa ASSISTAT. Pelos resultados obtidos através da metodologia empregada neste trabalho pode concluir-se que: 1- a superação da dormência de sementes de albizia (Albizia polycephala) foi obtida com a embebição em ácido sulfúrico por 30 minutos, pela escarificação mecânica e pelo uso do fogo; 2- as sementes de cássia-rósea (Cassia javanica) apresentaram melhores resultados na germinação com o uso do ácido sulfúrico por 3 e 4 horas e 3- os tratamentos de escarificação mecânica seguida da submersão das sementes de jatobá (Hymenaea courbaril) em 50 minutos em hidróxido de sódio e a escarificação química com o uso do ácido sulfúrico nos períodos de 15 e 35 minutos permitiram a superação da dormência.

Palavras-chave


Dormência; Espécies nativas; Laboratório de análise; Produção de mudas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.1465