CONTROLE DA LAGARTA-DO-CARTUCHO EM MILHO TRANSGÊNICO NA SAFRINHA EM SÃO PAULO: DEZ ANOS DE USO

Marcos Doniseti Michelotto, Aildson Pereira Duarte, Rogério Soares de Freitas, Fernando Bergantini Miguel, Jacob Crosariol Netto

Resumo


A lagarta-do-cartucho continua sendo uma das principais pragas na cultura do milho. O objetivo deste trabalho foi compilar os resultados da eficiência das tecnologias Bt disponíveis (Yieldgard, Herculex, YieldGard VTPro, YieldGard VTPro2, Viptera 3, Optimum Intrasecta e Powercore) no controle da lagarta-do-cartucho, Spodoptera frugiperda (Smith) no milho safrinha ao longo de oito anos em experimentos de cultivares no estado de São Paulo. No período de 2008 a 2010 foram realizados oito experimentos específicos para estudo das tecnologias transgênicas Bt e no período 2011 a 2017 foram avaliados sete ensaios da rede de competição de cultivares de milho IAC/APTA/CATI/Empresas em diferentes regiões do estado de São Paulo. Os danos da lagarta-do-cartucho nas plantas foram avaliados através de uma escala de notas de danos visuais (escala de Davis). As tecnologias diferiram quanto ao ataque da lagarta. As primeiras tecnologias foram perdendo a eficiência de controle da lagarta-do-cartucho ao longo do tempo e depois de cinco anos não diferiram das cultivares convencionais. Algumas tecnologias ainda apresentam controle satisfatório, embora seu tempo de adoção seja menor. A tecnologia Vip3 vem mantendo a eficiência de controle da lagarta-do-cartucho

Palavras-chave


Zea mays L., Spodoptera frugiperda, manejo-de-pragas, Bt, produtividade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/1982.2278.2821

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários