QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE AROEIRA EM FUNÇÃO DA MATURAÇÃO DOS FRUTOS SOB DIFERENTES TEMPERATURAS DE GERMINAÇÃO

Rafael Zucateli da Vitória, Felipe de Tassio Gonçalves de Oliveira, Sheilla Cristina Prucoli Posse, Sara Dousseau Arantes, Omar Schmildt, Adilar Viana, Renan Garcia Malikouski, Bruna Lara Alvarenga Barros

Resumo


Objetivou-se com este estudo, avaliar a qualidade fisiológica das sementes de aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi.) em função do estádio de maturação dos frutos e a sua possível interação com diferentes temperaturas de germinação. No experimento adotou-se o delineamento inteiramente casualizado, em que os tratamentos consistiram de um fatorial com quatro temperaturas: 25, 30, 35 0C constantes e 20-30 0C alternadas e, três estádios de maturação dos frutos: verde, intermediária e maduras. Foram utilizadas 4 repetições de 50 sementes por tratamento e a germinação foi avaliada durante 15 dias. A semeadura foi efetuada sobre papel mata-borrão, em caixas gerbox mantidas em câmara de germinação, reguladas em diferentes temperaturas, com fotoperíodo de 8 horas. Avaliaram-se a porcentagem de germinação, o Índice de velocidade de germinação (IVG), e a porcentagem de plântulas normais e anormais. As sementes extraídas de frutos maduros apresentaram qualidade fisiológica superior aos demais estádios avaliados, evidenciada principalmente nas temperaturas constante de 30 ºC e alternada de 20-30 °C, o que sugere ser esse o estádio de maturação ideal para coleta dos frutos e extração de suas sementes

Palavras-chave


Schinus terebinthifolius; vigor; extração

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.2870