AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA NO ESTADO DE SÃO PAULO EM RESPOSTA À APLICAÇÃO DE INOCULANTES NO SULCO DE SEMEADURA

Ivana Marino Bárbaro-Torneli, Everton Luis Finoto, Wander Luis Barbosa Borges, Flávio Sueo Tokuda, Guilherme Xavier Lúcio Santos, Mônica Helena Martins, Paulo Sérgio Cordeiro-Júnior, João Vitor Gomes Pasquetto, Adriano Custódio Gasparino, Rogério Soares de Freitas, Gustavo Pavan Mateus, Jorge Luiz Hipólito, Gerson Cazentini-Filho, Marcelo Luiz Casteleti

Resumo


Atualmente, tem-se difundido a aplicação de inoculantes para co-inoculação de soja no sulco de semeadura. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o desempenho agronômico em ensaios comparativos de cultivares de soja instalados em quatro locais do Estado de São Paulo, na safra de verão 2017/18. Efetuou-se também comparações quanto aos tratamentos com aplicação de inoculantes biológicos nas diferentes cultivares estudadas. Os experimentos foram instalados na primeira quinzena de novembro de 2017 em: Araçatuba, Pindorama, Riolândia e Manduri. Foram estudadas 11 cultivares comerciais sob três tratamentos: co-inoculação, inoculação no sulco e testemunha não inoculada. Por ocasião da maturação avaliaram-se a altura de inserção da primeira vagem, altura de planta, estande final, massa de mil grãos e produtividade de grãos. Para fins estatísticos, os dados foram analisados em esquema fatorial triplo, constituído por 4 locais, 11 cultivares e 3 tratamentos, em delineamento em blocos casualizados, com três repetições. A co-inoculação (Bradyrhizobium + Azospirillum) aplicada no sulco de semeadura na dose de 0,45 L ha-1 proporcionou expressivo incremento em termos de produtividade de grãos da ordem de 271,77 kg ha-1 ou 4,5 sacas ha-1 e 457,55 kg ha-1 ou 7,62 sacas ha-1 respectivamente, quando comparada à inoculação com somente Bradyrhizobium e testemunha sem inoculação, considerando a média de onze cultivares testadas em quatro locais de avaliação no Estado de São Paulo.

Palavras-chave


Azospirillum. Glycine max L. Inoculação mista. Rendimento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/1982.2278.3001