EFEITO DA DENSIDADE DE PLANTAS NAS CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DE DOIS GENÓTIPOS DE SOJA NO NOROESTE PAULISTA

Guilherme Xavier Lúcio Santos, Everton Luis Finoto, Paulo Sérgio Cordeiro Júnior, Flávio Sueo Tokuda, Mônica Helena Martins

Resumo


A densidade de plantas de soja assume papel importante no contexto da produção de grãos no Estado de São Paulo, necessitando de estudos técnico-científicos em regiões produtoras, para melhor compreensão das características fenotípicas das cultivares disponíveis aos produtores. Assim, o presente trabalho teve por objetivo avaliar o comportamento agronômico de dois cultivares modernos de soja na região Noroeste do Estado de São Paulo. O experimento foi instalado no município de Riolândia, SP. O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso com parcelas sub-dividas e 4 repetições. O tratamento principal consistiu na utilização de duas cultivares comerciais: BRS 1074 IPRO e BRS 1001 IPRO, as sub-parcelas consistiram em três densidades de semeadura: 8, 12 e 18 sementes por metro nas linhas de semeadura espaçadas a 45 cm. Por ocasião da colheita avaliaram-se os seguintes caracteres: altura de planta, altura de inserção da primeira vagem, índice de acamamento, peso de mil sementes e produtividade de grãos. Os dados obtidos foram submetidos a análise de variância pelo teste F, e as médias comparadas pelo teste de Tukey 5%. Na menor densidade, as plantas são mais baixas, acamam menos, e apresentam maior porcentagem de sobrevivência. Não houve diferença entre os dois cultivares de soja quanto à produtividade de grãos, que diminuiu com o aumento da densidade de plantas nas linhas.

Palavras-chave


Glycine max. Densidade de semeadura. População de plantas. Componentes da produção.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/1982.2278.3010