CALAGEM E GESSAGEM EM SISTEMA DE SEMEADURA DIRETA DE SOJA NO NOROESTE PAULISTA

Wander Luis Barbosa Borges, Flávio Sueo Tokuda, Jorge Luiz Hipólito, Isabela Malaquias Dalto de Souza, Marcelo Andreotti, Adriano Custódio Gasparino

Resumo


Sistemas de manejo conservacionistas que têm o intuito de evitar o desgaste ou a degradação do solo vêm sendo difundidos na agricultura. Entre esses sistemas está o sistema de semeadura direta. O presente trabalho foi realizado com o objetivo avaliar o efeito da calagem e da gessagem sobre a cultura da soja cultivada no sistema de semeadura direta na região Noroeste Paulista. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados com quatro tratamentos (T1 - calagem e gessagem para estabelecer que, respectivamente, o cálcio ocupe 70% da CTC na camada de 0-0,20 m e 60% da CTCe na camada de 0,20-0,40 m; T2 - calagem e gessagem para estabelecer que o cálcio ocupe 52,5% da CTC na camada de 0-0,20 m e 45% da CTCe na camada de 0,20-0,40 m; T3 - calagem e gessagem para estabelecer que o cálcio ocupe 35% da CTC na camada de 0-0,20 m e 30% da CTCe na camada de 0,20-0,40 m; T4 - tratamento padrão, sem aplicação de calcário e gesso agrícola) e quatro repetições. Os parâmetros avaliados na cultura da soja foram: altura de inserção da primeira vagem, altura de plantas, estande final ha-1, massa de cem grãos e produtividade de grãos ha-1. Os dados foram submetidos ao teste F e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05). Constatou-se que o tratamento T2 apresentou maior altura de inserção da primeira vagem que o tratamento padrão. Para as demais características agronômicas avaliadas não houve diferença entre os tratamentos.

Palavras-chave


Glycine max (L.) Merrill. Corretivos. Características agronômicas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.3627