Imprimir

Ituverava poderá ter incubadora de empresas

A iniciativa é da Fundação Educacional de Ituverava, Supera Incubadora e ACII

banner incubadora

Solenidade de assinatura do convênio

Nos últimos anos, o termo empreendedorismo ganhou força em todo o país. Isso porque através de várias ideias, muitas pessoas têm se tornado donas de seus próprios negócios, além de gerarem empregos e contribuírem com a economia.

Nas instituições de ensino, o empreendedorismo tem sido muito incentivado e, em Ituverava, município considerado um Polo Regional de Ensino, a situação não poderia ser diferente.

Pensando nisso, na última semana, a Fundação Educacional de Ituverava, a Supera Incubadora (de Ribeirão Preto) e a Associação Comercial e Industrial de Ituverava (ACII) assinaram convênio para implantar uma incubadora de empresas na cidade. 
Assinaram o documento o presidente da FE, Pedro César Galassi; o gerente da Supera e professor do curso de Administração da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL), Eduardo Cicconi; o presidente da ACII, Vicente Paulo Vieira; o diretor da FFCL, Antônio Luís de Oliveira (“Toca”) e empresários de Ituverava e região, entre outras autoridades.

Projeto

O gerente da Supera fala sobre o projeto. “O objetivo é a implantação de uma incubadora de empresas em Ituverava, que será gerida por um corpo técnico da FFCL, com o objetivo de incentivar a criação de novas empresas e, com isso, contribuir para a geração de empregos, de renda, melhora na dinâmica da economia regional”, afirma Eduardo Cicconi.

Edital

Ainda segundo ele, nas próximas semanas será publicado o edital para seleção de projetos. “Esse edital trará todas as exigências que serão levadas em conta no momento de selecionar os projetos que farão parte da incubadora”, explica.

“Os empreendedores selecionados se instalarão em uma área física, com todo o suporte da equipe da incubadora, para transformarem suas ideias em negócio e se estruturarem para que possam crescer e se desenvolver. Após essa etapa, as empresas deixarão a área da incubadora e se mudam para algum prédio comercial”, diz. Cicconi ainda lembra que o projeto não é exclusivo para alunos da FFCL, embora eles também possam participar. “Todas as pessoas com alguma ideia de negócio e que se enquadrem aos critérios que serão definidos no edital podem concorrer e, caso selecionados, poderão ser auxiliados para criar sua própria empresa”, destaca.

Supera

A Supera Incubadora, uma das âncoras do Parque Tecnológico de Ribeirão Preto, recebe startups e promove a integração delas com empresas brasileiras consolidadas e empresas internacionais de base tecnológica.

Também oferece apoio para a criação de novos negócios, disponibiliza infraestrutura básica para o empreendimento, assessoria, capacitação e networking.

O principal objetivo é fornecer as ferramentas e soluções para a criação, desenvolvimento e aprimoramento de empresas, no que se refere aos aspectos tecnológicos, gerenciais, mercadológicos e de recursos humanos.

Desenvolvimento

O resultado obtido pode ser visto no desenvolvimento socioeconômico de Ribeirão Preto e região, através da criação de novas oportunidades de trabalho, na expansão das áreas tecnológicas e na aceleração de startups no Brasil. “Atualmente a incubadora conta com 75 empresas e funciona através de uma parceria entre a Prefeitura de Ribeirão Preto e a Universidade de São Paulo (USP). Desde o início, em 2003, passaram pela incubadora mais de 300 projetos, sendo que alguns deles já se tornaram empresas de médio e grande porte”, enfatiza. “A incubadora gera 380 empregos diretos e, no ano passado, as empresas geraram cerca de R$ 2 milhões em impostos, incluindo os municipais, estaduais e federais”, completa o gerente da Supera Eduardo Cicconi.

Incubadora de empresas é uma oportunidade da cidade crescer

Sede da Supera em Ribeirão Preto

Matéria da Tribuna de Ituverava, mostrou dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) que apontam que Ituverava foi o município da microrregião a obter o pior índice de geração de empregos ao longo de 2018. O município registrou uma queda de 81 vagas no mercado de trabalho em 2018. Na microrregião, o único resultado próximo ao de Ituverava foi o de Miguelópolis, onde houve déficit de 72 empregos.

Na ocasião, o jornal cobrou do Poder Público e da sociedade que refletissem sobre meios de gerar empregos na cidade, pois, caso contrário, Ituverava permanecerá estagnada enquanto assiste aos municípios da região crescerem vertiginosamente. Portanto, o projeto de uma incubadora de empregos na cidade merece o apoio das autoridades constituídas e toda a comunidade, pois é o momento que o país se prepara para crescer e, Ituverava não pode ficar de fora desta oportunidade.

Desenvolvimento

O presidente da Fundação Educacional de Ituverava, Pedro César Galassi fala sobre o projeto. “A FGE tem uma grande preocupação com o desenvolvimento econômico e social do município de Ituverava. A implantação de uma incubadora de empresa, eu não tenho dúvida, será um novo marco na mudança do nosso perfil econômico, demonstrando que o nosso município pode, em período relativamente curto, apresentar novas formas de geração de emprego. Convidamos a todos os interessados para participar deste edital, que será lançado ainda no mês de março”, afirma o Pedrinho.

Apoio da FFCL

“A incubadora é um projeto que tem sido discutido a vários anos nos Conselhos da FFCL. Acreditamos que a nossa Instituição tenha capacidade técnica de encabeçar um projeto que trará muitos benefícios para a cidade e região. Este modelo de incubadora tem sido um sucesso em várias cidades do Estado de São Paulo”, observa o direto da FFCL, Antônio Luís de Oliveira (“Toca”).

Entusiasmo

O presidente da ACII, Vicente Paulo Vieira também está entusiasmado com a incubadora de empresas. “É de suma importância para a economia de Ituverava a implantação de uma incubadora de empresas. Através desse projeto a cidade terá um excelente suporte para as pequenas empresas que já existem no mercado, como também vai oferecer suporte e iniciativa ao empreendedor que esteja com uma ideia de negócio e precisa de orientação profissional”, afirma. “Gostaria de parabenizar a Fundação Educacional de Ituverava pela iniciativa que trará muitos benefícios à classe empresarial, que será um fator importante para o fortalecimento da economia e geração de empregos no município”, observa o residente ACII.

Fonte: Jornal o Progresso