DESENVOLVIMENTO INICIAL DA SOJA QUANDO CULTIVADA EM SOLOS COM DIFERENTES PERÍODOS DE REPOUSO APÓS A CONTAMINAÇÃO POR ÓLEO DIESEL

Lucas Aparecido Manzani Lisboa, João Paulo Dal Santo Ferreira, Eloiza Santana Seixas, Gustavo Henrique de Oliveira Dias

Resumo


O objetivo desse trabalho foi de analisar o desenvolvimento inicial da soja quando cultivados em solos com diferentes períodos de repouso após a contaminação por óleo diesel. Um experimento foi realizado com um delineamento inteiramente casualizados, em esquema fatorial de 2x6, sendo duas cultivares soja: TMG 2383 IPRO e DM 81I84, interagindo com cinco períodos de repouso após a contaminação do solo por óleo diesel, sendo elas: contaminação no dia da semeadura (zero dia); 30; 60; 90 e 120 dias e ausência de óleo no solo (controle) e com cinco repetições, totalizando 60 parcelas ou plantas. A presença do óleo no solo causou restrições no desenvolvimento da planta de soja, mesmo em período de 120 dias de repouso. É necessário novos estudos para entender o período de repouso ideal quando o solo é contaminado por óleo diesel após 120 dias. Não é recomendada a semeadura da soja em solo contaminado por óleo diesel mesmo em repouso de 120 dias. A cultivar de soja TMG 2383 IPRO foi mais susceptível a contaminação do solo por óleo diesel.

Palavras-chave


Glycine max; poluição do solo; massa seca; folhas; raízes

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.3895