CARBOIDRATOS DE PLANTAS FORRAGEIRAS PARA RUMINANTES: IMPORTÂNCIA E AVALIAÇÃO QUALITATIVA: UMA REVISÃO

Alex Lopes da Silva, Dalva Batista de Sousa, Diego Sousa Amorim, Marilania da Silva Santos, Kleitiane Balduino da Silva, Romilda Rodrigues do Nascimento

Resumo


Os carboidratos constituem 50-80% da matéria seca de forragens e são compostos formados por carbono, hidrogênio e oxigênio que representam a categoria mais abundante em termos de nutrientes nas plantas. Neste contexto, objetivou-se obter informações de avaliação da qualidade dos carboidratos de plantas forrageiras. As avaliações de plantas forrageiras dispõem grande valor prático na alimentação de ruminantes. As metodologias de composição permitem a determinação da percentagem de carboidratos totais (CT) por diferença da percentagem de proteína bruta, extrato etéreo e cinza. Carboidratos podem ser fracionados e serem classificados, como fração (A) açúcares solúveis com rápida degradação ruminal, (B1) amido e pectina, (B2) correspondente à fibra potencialmente degradável com taxa de degradação mais lenta e (C) que apresenta característica de indigestibilidade. O total de carboidratos não-estrutural é uma estimativa de energia prontamente disponível para a planta. É de extrema importância a qualidade dos carboidratos nas plantas forrageiras, devido estes constituírem a maior fração na constituição dos tecidos da planta, que influencia diretamente o desempenho dos animais. A determinação pode ser efetuada pelas as metodologias citadas, que podem estimar a qualidade dos carboidratos nas plantas forrageiras in natura ou conservadas de maneira segura e eficaz.

Palavras-chave


Alimentação; Metodologia; Produção animal

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/21751463.2945