CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA, FREQUÊNCIA DE COLHEITA E ENSILAGEM DE PALMA FORRAGEIRA: UMA REVISÃO

Alex Lopes da Silva, Dalva Batista de Sousa, Diego Sousa Amorim, Marilania da Silva Santos, Kleitiane Balduino da Silva, Romilda Rodrigues do Nascimento

Resumo


Objetivou-se obter informações atuais sobre morfologia, frequência de colheita e ensilagem de palma forrageira. O crescimento e o desenvolvimento satisfatório na palma forrageira, dependem da combinação adequada do manejo cultural, dos fatores ambientais e do potencial genético da variedade. A colheita é realizada com 1,5 a 2 anos ou mais, e dependendo do desenvolvimento da cultura de acordo as condições do solo e clima, possivelmente poderá ser feito o corte anual. Recursos de utilização de irrigação em pequenas quantidades e frequência pode aumentar a frequência de corte. Existem muitas variações nas características morfologias, e quando é priorizado acréscimo na produção de matéria seca em toneladas por hectare a cada dois anos, deve-se priorizar a seleção de clones de maior altura e largura da planta. Por apresentar cladódios ricos em carboidratos solúveis e água, antioxidantes, fibras dietéticas, vitaminas e apresentar massas viscosas na água devido a mucilagem, a palma forrageira pode ser ensilada. A frequência de colheita depende da necessidade dos produtores. A colheita influência nas características morfológicas. A palma pode ser ensilada em diferente frequência de corte, no entanto.

Palavras-chave


Conservação forrageira; Produtividade; Semiárido

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/21751463.2958