SISTEMA DE PRODUÇÃO, VALOR NUTRICIONAL E EFICIÊNCIA DA PALMA FORRAGEIRA NO SEMIÁRIDO: UMA REVISÃO

Anderson Samuel Silva, Edson Mauro Santos, João Paulo de Farias Ramos, Betina Raquel Cunha Dos Santos, Jhonatan Feitosa do Nascimento, Raniere Paulino de Sá

Resumo


A adoção de estratégias para criação e produção animal em regiões com escassez de chuvas num determinado período do ano, leva a palma forrageira a ter uma importância significativa nesse cenário. A palma forrageira desempenha papel central no cenário socioeconômico na região Semiárida Brasileira (SB), devido, além de ser uma cultura adaptada as condições edafoclimáticas, gera renda e sustentabilidade financeira. O SB apresenta temperaturas médias elevadas e precipitações médias anuais de 300-700 mm. Diante disso, a produção de palma forrageira é uma das estratégias de apoio à convivência da pecuária regional com a seca. A escolha da colheita de palma forrageira segue em função da necessidade em grande parte dos produtores ou a cada dois anos. Porém, intervalos maiores podem diminuir a eficiência do solo em produzir menos em maiores períodos de tempo, o que sugere frequências de cortes menores para um bom aproveitamento da área utilizada para o cultivo. Dessa forma, será possível manter a produção e aumentar a produtividade ao longo tempo. Diante desse contexto, essa revisão apresenta informações pertinentes para elaboração de um bom manejo da cultura da palma, levando em consideração os sistemas de produção em sequeiro no semiárido, e sua influência nutricional para fornecimento na dieta animal de ruminantes e não ruminantes.

Palavras-chave


Nopalea spp., Palmepa-PB01, produtividade, sequeiro

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/21751463.3683