MODELOS DE DETERMINAÇÃO NÃO DESTRUTIVA DE ÁREA FOLIAR EM FEIJÃO CAUPI CULTIVARES BRS POTENGI E BRS TRACUATEUA.

Raimundo Leonardo Lima de Oliveira, Layla Gerusa Souza Lima, Antonio Robson Moreira, Leane Castro de Souza, Antonia Vanderlane Albuquerque da Costa, Raimundo Thiago Lima da Silva

Resumo


Com o objetivo de obter equações que, por meio de parâmetros lineares dimensionais das folhas, que permita a estimativa da área foliar de feijão caupi (Vigna unguiculata. L.), das cultivares BRS Potengi e BRS Tracuateua, foi conduzido um experimento na Universidade Federal Rural da Amazônia no Campus de Capitão Poço - PA. A área foliar foi determinada pelo método dos discos. Ajustaram-se modelos lineares, lineares sem intercepto, quadráticos, cúbicos, logarítmicos, exponenciais e potenciais entre área foliar e o comprimento, a largura e seus produtos (comprimento x largura), sendo eliminados os que apresentaram coeficiente de determinação menor do que 0,90. A estatística utilizada para avaliar o desempenho dos modelos foi o coeficiente de correlação de Pearson (r), o de determinação (R²), a raiz do quadrado médio do erro, o erro absoluto médio, o índice d de Willmott e o índice CS. Para a cv BRS Potengi as medidas de área foliar podem ser estimadas a partir de equações quadrático, cúbico, potencia e linear com boa precisão e, para a cv BRS Tracuateua o modelos matemáticos de melhor desempenho foram o linear, quadrático e potencia.

Palavras-chave


Coeficiente de determinação; Dimensões do limbo foliar; Vigna unguiculata.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/1982.2278.1505