ANÁLISE DE CRESCIMENTO DE UMA CULTURA DE MILHO SUBMETIDA A DIFERENTES REGIMES HÍDRICOS

Anice Garcia, Romísio Geraldo Bouhid André, João Antônio Galbiatti, Simone Tannous

Resumo


Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar, através da análise de crescimento, os efeitos de três regimes hídricos sobre o desenvolvimento da cultura de milho. O experimento foi conduzido no ano de 1993, e na Área Demonstrativa e Experimental de irrigação da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal (UNESP). O delineamento experimental foi inteiramente casualizados, com três tratamentos e 4 repetições. Os tratamentos consistiram de três períodos de irrigação:T1: durante todo o ciclo; T2: após a emissão da 12ª folha e T3: até 20 dias após o florescimento. Para avaliação da área foliar e da produção de matéria seca total (MST), foram coletadas seis plantas por parcela, em cinco avaliações. Foram avaliados também: o índice de área foliar, a taxa de crescimento da cultura, a taxa de crescimento relativo, taxa assimilatória líquida e a razão de área foliar. A análise de crescimento evidenciou a deficiência hídrica afeta negativamente os índices fisiológicos do crescimento na cultura do milho e que a deficiência durante o período vegetativo (após a emissão da 12ª folha) foi a que mais afetou a cultura em termos fisiológicos e de produção.

Palavras-chave


deficiência hídrica, parâmetros fisiológicos, Zea mays

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/nucleus.v5i1.60