MORTE FETAL POR USO DE CONTRACEPTIVO EM FELINOS: RELATO DE CASO

Ana Elisa Marangoni Campos, Gabriela Augusta de Andrade Barbosa Borges, Romeu Moreira Dos Santos

Resumo


O elevado número de cães e gatos em todo o Brasil resulta em superpopulação de animais errantes em áreas urbanas, apresentando risco à saúde pública, animal e ao meio ambiente. O uso de métodos contraceptivos seja eles medicamentosos ou cirúrgicos são indicados como controle para diminuir número de animais de rua. A utilização de progestágenos na medicina veterinária vêm crescendo indiscriminadamente nos últimos anos para controle do ciclo estral tanto de cadelas quanto de gatas visando a diminuição do nascimento de filhotes. Entretanto, essas preparações farmacológicas causam efeitos indesejáveis a fisiologia das fêmeas podendo provocar doenças locais ou sistêmicas graves que podem levar o animal a óbito. Devido seu baixo custo, fácil distribuição e poucas exigências para sua comercialização, os progestágenos são substâncias facilmente encontradas em casas de rações, petshops e clínicas veterinárias sendo acessível a qualquer pessoa, sendo a classe de contraceptivos mais utilizada nos animais principalmente por tutores que aplicam de maneira contínua e sem base clínica veterinária levando a sérias complicações patológicas reprodutivas. Baseado nisto, o objetivo deste trabalho foi relatar um caso clínico sobre distocia e morte fetal com alterações enfisematosas de filhotes sugestivo de uso indiscriminado de medicamento contraceptivo em uma gata sem raça definida.

Palavras-chave


Cio; Hormônios; Distocia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/21751463.3766