METABOLISMO DE RUMINANTES EM LACTAÇÃO NO ESTADO DE JEJUM: REGULAÇÃO HORMONAL, FORMAÇÃO DE CORPOS CETÔNICOS E PRODUÇÃO DE LEITE

Renato Tonhá Alves Júnior, Mikael Leal Cabral Menezes de Amorim, Leonardo Augusto Fonseca Pascoal, David Rwbystanne Pereira da Silva, Jonathan Mádson dos Santos Almeida

Resumo


O estado de jejum é observado quando o animal é privado do fornecimento de fontes externas de energia metabólica, tendo início em um determinado momento após a última refeição, a partir do qual já não ocorre absorção significativa de nutrientes no trato gastrintestinal. Em caso de subalimentação, os animais mobilizam substratos das reservas do glicogênio hepático, tecidos adiposo e muscular. O catabolismo desses tecidos ocorre devido a diminuição plasmática de insulina e o aumento da secreção de hormônios glicocorticoides. Esta mobilização das reservas corporais, que ocorre mesmo em animais não produtivos, se torna ainda maior durante as fases de gestação e lactação pelo aumento das necessidades fisiológicas. Tendo em vista que a alimentação animal e o fornecimento desta influenciam diretamente na produção leiteira e no metabolismo energético, objetivou-se com essa revisão esclarecer como o jejum pode interferir no metabolismo de ruminantes em lactação.

Palavras-chave


cetogênese, lipólise, regulação do metabolismo energético

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/21751463.3838