QUALIDADE DE LARANJA HAMLIN DURANTE ARMAZENAMENTO EM DIFERENTES TEMPERATURAS.

Autores

  • Maria Amalia Brunini Faculdade Dr. Francisco Maeda
  • Elcio Hyssagy Samecina Junior Faculdade Dr.Francisco Maeda
  • Camila Alves de Oliveira Faculdade Dr. Francisco Maeda

DOI:

https://doi.org/10.3738/1982.2278.981

Palavras-chave:

Citrus sinensis. Armazenamento. Índice Tecnológico. Embalagem. Índice de Maturação. Vida útil.

Resumo

O objetivo deste trabalho é avaliar o efeito de temperaturas de armazenamento, associadas ou não a embalagens na qualidade e vida útil de laranjas Hamlin, acondicionadas ou não, em bandejas de poliestireno expandido revestidas externamente com filme plástico de PVC esticável e auto aderente de 14µ, durante armazenamento a7 ± 1ºC, com 80-85% UR; a 11±1ºC, com 90-95% UR e à temperatura de 24 a 28ºC, com 48-70% UR. Os parâmetros avaliados foram perda de massa fresca, respiração, índice de formato, coloração (valor de L, Hue e Chroma), resistência, rendimento em suco, acidez titulável, pH, sólidos solúveis, índice de maturação, vitamina C e índice tecnológico. Considerando os resultados aqui obtidos pode-se concluir que o armazenamento sob baixa temperatura, associada a embalagem, reduziu a perda de massa fresca; o uso de embalagem, independente da temperatura de armazenamento, pode prolongar a vida útil das laranjas com manutenção da qualidade e redução da perda de massa fresca; as laranjas acondicionadas e armazenadas a 7 ± 1ºC e à temperatura ambiente tiveram vida útil de 28 dias, enquanto que a armazenada a 11±1ºC teve vida útil de 21 dias; o teor de vitamina C diminuiu com o tempo de armazenamento, independente do tratamento.

Downloads

Publicado

30.10.2013

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1-10 de 1169

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>