MANEJO DA DOR DE CRIANÇAS COM CÂNCER: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

LETICIA SOUZA PERES, Fabrine Aguilar Jardim

Resumo


Objetivo: identificar na literatura científica estratégias para o manejo da dor de crianças em tratamento oncológico e as implicações destas para o cuidado de enfermagem. Material e método: trata-se de uma revisão integrativa da literatura, realizada mediante a busca nas bases de dados: MEDLINE, LILACS, BDENF, pelo portal da BVS. Resultados parciais: foram recuperados 149 artigos, 122 foram encontrados na MEDLINE, 17 na LILACS e 10 na BDENF. A seleção final foi de três artigos na MEDLINE, dois na LILACS e 01 na LILACS e BDENF, totalizando de seis estudos. Considerações finais: o alívio da dor e a atenção dada aos sintomas do tratamento oncológico devem estar inseridos de forma integral nos protocolo de tratamento e na prescrição de cuidados de enfermagem.


Palavras-chave


Dor. Neoplasias. Enfermagem. Criança.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2018: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: . Acesso em: 30. Set. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Instituto Ronald Mcdonald. Diagnóstico precoce do câncer na criança e no adolescente. 2. ed. Rio de Janeiro: Inca, 2014. Disponível em: . Acesso em: 28. Set. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância do Câncer. Câncer da criança e do adolescente no Brasil: dados dos registros de base populacional e de mortalidade. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer, 2008. 220p. Disponível em: . Acesso em: 28. Set. 2018.

ERCOLE, F. F.; MELO, L. S.; C ALCOFORADO, C. L. G.C. Revisão Integrativa versus Revisão Sistemática. Revista Mineira de Enfermagem, Belo Horizonte, v. 18, n. 1, p. 1-260, 2014. Disponível em: < http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/904>. Acesso em: 30. Set. 2018.

FERREIRA, A. B. H. Dicionário da língua portuguesa. 5. ed. Curitiba: Positivo, 2010.

McGRATH, P. A. Children: not simply ‘little adults’. In: MERSKEY, H.; LOESER, J. D.; DUBNER, R. (Eds.) The paths of pain, 1975-2005. Seattle: IASP Press, 2005.

MELNYK, B. M.; FINEOUT-OVERHOLT, E. Evidence-based practice in nursing &

healthcare. A guide to best practice. 2nd ed. Philadelphia, 2011, p. 3-24.

MENDES, K. D. S; SILVEIRA R.C.C.P, GALVÃO C.M.. Revisão integrativa: método da pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Disponível em: . Acesso em: 28. Set. 2018.

NASCIMENTO, L.C. et al. Crianças com câncer e suas famílias. Revista da Escola de Enfermagem, São Paulo, v.39, n.4, p.469-74, 2005. Disponível em: . Acesso em: 30. Set. 2018.

URSI, E. S; GALVÃO, C. M. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão

integrativa da literatura. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.14, n.1, p. 124-131, 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rlae/v14n1/v14n1a17.pdf>. Acesso em: 30. Set. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.